sexta-feira, 20 de abril de 2018


A casta sacerdotal (superior) para se manter no poder da Dimensão Negra, fez um acordo com o General Zefon, que passa a ingerir na política local, o que pode levar a uma ruptura no equilíbrio.
Abaixo, Retzerk, chefe dos Sentinelas Negras, terá uma luta inglória pela frente. Os sentinelas são responsáveis por não deixar ninguém entrar na Dimensão, pois são considerados impuros. Retzerk e seus soldados, não serão páreo para o General Zefon e sua esquadra do mal.
Harlan mais uma vez voltará ao lugar para ajudar a Resistência, e, tentar a todo custo manter o equilíbrio.
Dampyr 182 - Na Dimensão Negra (História de Mauro Boselli com desenhos de Maurizio Rosenzweig)

quarta-feira, 18 de abril de 2018


DAMPYR DE MAIO!
Em Danças Macabras (Dampyr 218), que irá para as bancas em maio, terá nossa vampira como protagonista. Acima, uma página história - desenhos de Luca Rossi.

segunda-feira, 16 de abril de 2018


Yossele, o mudo - Dampyr 217 (abril de 2018) 

(Crítica de Paolo M.G. Maino)

Depois do emocionante Horror Movie (dampyr 211 de setembro de 2017), retorna aos textos (e o fará em uma trilogia de números que se prenuncia de alta tensão) o co-criador do matador de vampiros Mauro Boselli e o faz em parceria com Fabrizio Longo, que pudemos ver no especial "dantesco" de 2016, nos textos do zagoriano Moreno Burattini.
Diremos de imediato que Yossele, o mudo, se apresenta como um outro ponto importante da estreita continuidade dampyriana, e basta elencar os elementos que o constitue, para entendermos: Praga, o encontro com Nergal e Abigor, Caleb e Nicolaus, o Golem e o gueto hebraico, o jovem não-morto Nicholas (recordam do Dampyr Especial 4 e a cruzada dos adolescentes?), Ljyba, os spok... para quem ama as histórias que se aprofundam no passado mágico de praga, que se referem a cabala e ao esoterismo hebraico, estamos de frente a uma história que fecha idealmente o cerco iniciado na primeira aparição de Harlan em Praga no número 5.
Difícil comentar sem revelar muito da história, também porque todos os acontecimentos das conquistas do Golem Yossele no Século XVI são jogados no presente em uma sutil trama de enganos e o contrário, que é muito difícil de entender, quem vai se destacar na eterna luta entre as forças infernais e a armada do bem. Nergal puxa os fios com Abigor de um lado, Caleb e Harlan com a indispensável ajuda de Nikolaus do outro. Além disso a história segue uma linha muito descritiva pelas primeiras 70 páginas, para somente depois crescer dramaticamente nas últimas 20/30.
Sobre o final (que de modo algum pode-se mandar spoilers), compartilho somente uma impressão: já presenciaram os encontros entre o Hulk e a Coisa? Quando lerem, poderam dizer que também veio a mesma coisa em mente. Há realmente uma explosão de ação em tom "Marvel", o que é uma agradável surpresa (a ação é um ingrediente básico na série Dampyr), mas este tipo de ação talvez não seja usual e atende às expectativas do leitor). 
Boselli retomando os textos, demonstra ter um controle férreo sobre sua criatura, porque com tantas sementes que Claudio Falco plantou em algumas de suas últimas histórias, logo estarão na trama principal e terão seguimentos importantes. Talvez entre todos os personagens que passam pelas páginas de Yossele, o mudo, o mais sacrificado me parece ser a bela Ljuba (mas tenho a suspeita que foi colocada na história para nos dizer algo que, por enquanto, me escapa, ou talvez seja apenas para justificar a presença do não-morto Nicholas, que desempenha um papel importante, sem ser protagonista).
Um aplauso particular ao desenhista Fabrizio Longo que com os seus claros/escuros fortes e expressivos se inserem perfeitamente na representação da Praga de Harlan e com uma segurança notável maneja os elementos de apoio da saga de vinte anos de Dampyr (enquanto movimentou-se em um terreno mais livre no Especial de 2016).



Crítica publicada originariamente no blog: www.fumettiavventurarecensioni.blogspot.com

sábado, 14 de abril de 2018


DAMPYR 213
Nicola Venanzetti nos trás uma lenda da Bretanha, onde vemos Ankou, o carroceiro da morte. 
O Dr. Armand Kergaz, amante da vampira Araxe, trata de seus pacientes com câncer na sua clínica na Bretanha. Constance, uma de suas pacientes, recebe a visita do carroceiro da morte, que lhe propõe a cura, uma nova vida, sem a doença.
Em troca, quer ajuda para capturar o médico e a vampira. Araxe pede ajuda a Dampyr, para salvar seu amado!
Um Dampyr e uma vampira contra a morte! Quem sucumbirá? 

Dampyr 213 - Ano Novo Celtico - História de Nicola Venanzeti com desenhos de Nicola Genzianella.

quinta-feira, 12 de abril de 2018



PÁGINA DE CORRADO ROI!
Página do Dampyr de junho, "Tudo por amor", o título da história!

terça-feira, 10 de abril de 2018


CAPA DE MAIO



No Dampyr 203 podemos ver novamente Gudrun Finngadottir, a bela pintora Islandesa tem poderes psíquicos e um cajado mágico. Podemos também ver seu inseparável gatinho, Snorri.
Essa história fala de divindades do folclore Islandês e de um projeto nazista, cujo objetivo seria criar uma super raça ariana, fazendo procriar homens e mulheres arrancados de seus países de origem.
O gigante loiro que aparece, que Gudrun não vê, apenas tem um pressentimento... é Starkard, um companheiro de armas de Egil, uma mão. Os dois fazem parte do folclore do país escandinavo.
Dampyr, notando a apreensão de sua amiga, ao receber seu telefonema, confirma que partirá imediatamente para a Noruega, a pedido dela. E o que espera por eles... não pode ser medido em palavras!
Destaque para os fantásticos desenhos de Arturo Lozzi, um colírio!
Dampyr 203 - A Fonte da Vida - História de Nicola Venanzetti com desenhos de Arturo Lozzi.