quinta-feira, 13 de junho de 2024

 
A caverna da Sibila - Dampyr 291 (junho/2024) / crítica
 
Por Paolo M.G. Maino
 
 
Nicola Venanzetti e Giorgio Gualandris, depois de "A floresta dos suicídios", voltam a trabalhar juntos e se mudam do Japão para a Itália, mas atmosfera onírica da zona crepuscular em que estávamos imersos na floresta japonesa retorna às aldeias abandonadas e entre as encostas dos relevos de Marche.
 
Resumindo, uma dupla que funciona não pode ser mudada. E esta história também tem um elemento adicional muito forte: Venanzetti conhece muito bem o folclore e as lendas da sua terra. Partindo da tradição das sibilas da sua região, desenvolve um enredo que ser articula perfeitamente com o imaginário e a continuidade Dampyriana. 
 
Prossigamos... (e sem spoilers)
 
A caverna da sibila - Dampyr 291
História e Roteiro: Nicola Venanzetti
Desenhos: Giorgio Gualandris
Capa: Enea Riboldi

Harlan viaja para o interior de Marche (Itália), onde um mix de desaparecimentos repentinos e rumores populares indicam a presença (ou melhor, o retorno) de um mal atávico. Disfarçado de professor de folclore da Universidade de Freiburg, ele participa de uma animada conferência (talvez se a coisa mais irreal da história: uma conferência universitária bem concorrida!) onde pessoas da cidade também reclamam de desaparecimentos e mostram os seus medos às forças investigativas que parecem tatear no escuro. Além de Harlan, Padre Ruggero, um padre austero, que também participa da conferência e mostra que sabe muito sobre as monstruosas sibilas e a caverna onde elas eram trancadas. 


A partir daqui (e depois de um prólogo impressionante) a trama se desenvolve: os inimigos estão bem identificados nas sibilas, mas são muitos os elementos de interesse que Venanzetti nos revela aos poucos em uma trama repleta de coadjuvantes, aliados inesperados, flashbacks entre história, mitos populares e dampyrianos. Como um bom conhecedor da saga de Harlan e seus associados, na verdade, Venanzetti nos oferece uma visão substancial e agradável da subtrama dos príncipes infernais e das várias lutas em torno do trono de Iblis, príncipe do inferno, demonstrando que possui conhecimento dampyriano como poucos e já conta com mais de uma década de colaboração com a série do Matador de vampiros da Bonelli, e todos os anos nos delicia com histórias góticas bem selecionadas. 


Giorgio Gualandris se diverte e nos diverte desenhando aldeias medievais e cavernas escuras com abundância de detalhes e não economizando em cenas respingadas que dão vida a sacrifícios humanos e aos ritos das práticas haruspícias da tradição romano-osco-úmbria (afinal, também a cada de Enea Riboldi está entre as mais espalhafatosas da série). Fígado, olhos arrancados, intestinos e entranhas diversas são elementos necessários da narrativa e ao desenho de Gualandris só o cheiro acre de sangue!
 
Para quem acompanha as páginas de Gualandris, há também alguns extras que relembram estudos de vários personagens com sabor de mangá. As sibilas são excelentes tanto na versão persuasiva quanto na demoníaca. 
 
 
Um álbum que me deixa um gostinho gostoso (não pelo fígado e pelos intestinos, né?!), tanto pelo que mostra quanto pelo que esconde e nos faz imaginar (e o mesmo deve acontecer com qualquer narrativa de suspense e terror). Venanzetti tira a satisfação de trazer Harlan para sua casa (e nós, leitores com ele) e Gualandris confirma com sua arte sólida que se mostra pronto para novas aventuras!


 
Crítica publicada no site: www.fumettiavventura.it   

terça-feira, 11 de junho de 2024

 
Harlan Draka está sonhando... Quem aparece no seu sonho é Varkendal, o colecionador de almas. Varkendal é demônio da dimensão negra, e ele cruzará o caminho de Dampyr, para eliminá-lo...
Dampyr 126 - O quarto perdido (História de Mauro Boselli com desenhos de Nicola Genzianella)

domingo, 9 de junho de 2024

 
(capa provisória)
Dampyr 293
Férias no desconhecido
De Mauro Boselli com desenhos de Nicola Genzianellla
Agosto/2024

No verão de 1949, quatro famosos escritores de ficção científica saíram de férias juntos no deserto de Nevada... O que eles descobriram foi além de suas fantasias mais loucas... Agora é a vez de Dampyr enfrentar um experiência no limite da realidade!

sexta-feira, 7 de junho de 2024

 
Momento ímpar da série, o primeiro humano a achar o Teatro dos Passos Perdidos!
Detalhe: o Teatro é quem tem acha... nunca antes tinha acontecido na série, a vidente alemã Ann Jurggeng conseguiu!
Thorke está ameaçando a pequena Lujba, quer matá-la para assim, conseguir destruir Dampyr! O demônio da dimensão negra nunca esteve tão forte. Com isso, Caleb Lost, está juntando toda ajuda possível, apesar da defesa mágica do Teatro dos Passos Perdidos.  
Dampyr 157 - A fúria de Thorke (História de Mauro Boselli com desenhos de Nicola Genzianella)

quarta-feira, 5 de junho de 2024

 
Taliesin encontra seu pai Mordha!
 
Dampyr 196 - As presas de Annwn (História de Mauro Boselli com desenhos de Dario Viotti)

segunda-feira, 3 de junho de 2024

 
Uma lenda sombria volta à vida nos Apeninos...
 
 
A CAVERNA DA SIBILLA 
Dampyr 291
Nas bancas italianas: 04/06/2024
História: Nicola Venanzetti
Roteiro: Nicola Venanzetti
Desenhos: Giorgio Gualandris
Capa: Enea Riboldi
 
Na Idade média, as tropas papais enviadas para reprimir uma perigosa heresia, se deparam com monstros saídos de um pesadelo... Hoje, do abismo do tempo, uma criatura mítica reaparece, determinada a expulsar os inimigos que a exilaram entre as montanhas Sibillini. E além de Dampyr se move o poderoso serviço secreto do Inferno!



Publicado originariamente no site: www.sergiobonellieditore

sábado, 1 de junho de 2024

 
Dampyr 282
História e Roteiro: Stefano Piani
Desenhos: Fabrizio Russo
Capa: Enea Riboldi
 
Na África Negra ser criança é difícil... Ainda mais se te atribuem infortúnios e te tacham de "enfant sorcier"! A essa altura você é submetido a torturas dolorosas e exorcismos trágicos e custosos... A pequena Dada é perseguida como bruxa por parentes, vizinhos e um impiedoso padre exorcista, que talvez trabalhe para a Temsek... Mas Tesla não suporta que maltratem às crianças...